03 agosto, 2009

O morno Octavio Café-SP


Viagem bate e volta a São Paulo, com horários apertados, trânsito pra variar caótico e mau tempo. Mas ir a SP sem visitar uma nova cafeteria sequer, não dá! Consultei o Primeira Xícara que mora em SP e ele acabou me indicando o Octavio Café que ficava perto do endereço em que eu ia.

Primeira impressão é que foi construído para ser um templo para adoradores de cafés em todas as suas formas. Ali serve espresso, de coador de pano, french press, Turco, de máquina, de chaleira (BUNN) e de cafeteira italiana.

Arquitetura premiada de muito bom gosto, impressiona com seu super-hiper-mega pé direito, ambiente todo em tons marrons...marrom café é claro!

Usam 2 máquinas LaSpaziale, modelo S2 de 2 grupos, colher MMF linha Hotel e belas xícaras da nova linha da Schmidt. Já moinhos, vi de várias marcas diferentes, CONIK e LaSpaziale. Tudo isso rodando com grãos da casa, da região Alta Mogiana.
Pedi um macchiato e um espresso curto ao mesmo tempo, o que causou espanto ao atendente que resolveu me dar uma aula...explicar que espresso é uma coisa e macchiato era outra!! Fiquei aliviado em saber que ele sabia que eram duas coisas distintas...rs!
Ambos vieram acompanhados dos indefectíveis, copinho de água gasosa e petit four. Primeiramente bebi o decepcionante macchiato ai da foto, com muito leite e sem espuma que estava mais para um cortado gaúcho e/ou um latte! Em seguida, provei o espresso que para mim, não estava curto conforme pedi porém, perfeitamente tigrado...espresso de alto sabor adocicado e suave do início ao fim, que conferiu um retro-gosto bastante interessante.

Paguei caros R$4,30 pelo pseudo-macchiato e R$3,80 pelo espresso nada curto. Característica comum a ambos.......... MORNOS!!!! Lá fora fazia entre 18c– 19c, isto é, um dia frio que definitivamente não combina com o espresso morno!!!

6 comentários:

Tetsuo Higa disse...

eu acho o espresso do octavio um pouco queimado, veja que na xicara a borda sobra um creme quase preto. a xicara deles dizem que tem uma capsula metalica que garantiria uma temperatura ideal. ja ouvi comentario sobre capuccino morno tambem.

Georgia disse...

Eu estive no Suplicy da Al, Lorena domingo passado e rovei um café amargo, decepcionante.
Fiz curso de barista, aprendi com uma barista especial aqui em São Paulo, tirei muito café espresso numa La Spaziale e percebi a diferença gritante entre tomar um café e um espresso.
O Café Orfeu, sensacional. Nunca gostei de café, mas esse tomei sem açucar, perfeito.
Vou abrir um café em rbeve em Cabo Frio, mas um café Gourmet, quem sabe de passagem um dia por lá, provará um café que se orgulhe. E com um preço dentro dos padrões.

Abraço

Georgia

espressa-mente! disse...

Tetsuo,

Confesso que tenho vontade de comprar uma xicara destas e testar!! :o))
Abs e grato pela visita.

Gustavo Mansur disse...

Sua conclusão é muito parecida com a que chego toda vez que vou no Octavio. A gente paga muito mais (e bota mais nisso) pelo ambiente do que pelo produto que consome. Mas o fato é que os caras conseguiram montar um lugar super agradável pra fazer uma reunião informal, mesmo que seja de trabalho.

Gourmandise disse...

Alguém já ouviu um elogio verdadeiro ao espresso do Octavio? Sempre tem algum defeito. Eu uma das sorteadas em receber cafés queimados lá.
bjo,
Nina.

espressa-mente! disse...

Nina, o que vi foi muito espresso cortesia sendo servido! Ai ja viu, de cortesia "a gente" nao fala mal né? rs...

Gustavo, li algo parecido na revista Paladar, "Tome um café e pague pelo ambiente"! Abs!
http://blog.estadao.com.br/blog/paladar/?title=tome_um_cafe_e_pague_pelo_ambiente&more=1&c=1&tb=1&pb=1

Georgia, grato pela visita e pelo confuso comentario..."nunca gostei de café.", "vou abrir um café em breve..."? Me parece um tanto conflitante nao?...será excesso de cafeína? :o))